Dividindo Experiência - Manutenção Predial

Ver o ambiente onde trabalhamos bonito, bem cuidado e organizado dá grande satisfação. É preciso, então, avaliar como manter ou melhorar as características do edifício em que trabalhamos, à medida que o utilizamos. Acostumo a dizer que “Cobra que não anda não engole sapo”.

Faça revisões periódicas nos equipamentos e instalações.

O objetivo principal é manter o nível de utilidade e segurança, à medida que o prédio vai ficando mais antigo, ou seja, garantir que o edifício continue atendendo aos colaboradores corretamente.

Manutenção preventiva

Trata-se de um método programado, ou seja, para realizar a manutenção não é necessário ter algum tipo de falha.

A correção efetua reparos nas estruturas essenciais ao bom funcionamento do prédio que são utilizados com mais frequência, como: bombas elétricas, boias das caixas d’água, alarmes, portões, elevadores, pequenas pinturas, etc.

É importante porque evita problemas que podem impactar diretamente os colaboradores (falta de água, por exemplo), além de minimizar a possibilidade de consertos emergenciais mais caros.

Manutenção corretiva

Trata-se de uma técnica reativa, ou seja, primeiro ocorre algum tipo de falha para depois determinarem-se as ações de manutenção.

Prevê substituir peças e equipamentos, e corrigir ou restaurar tudo que tenha mudado no funcionamento. Gera custos maiores devido ao tempo de paralisação, mão de obra, e custo de materiais adquiridos em caráter de emergência.

Rachaduras em paredes, vazamentos de água e degradação avançada de pintura e acabamento são possibilidades de manutenção corretiva.

Crie um check list: ferramenta útil de acompanhamento.

É recomendado programar a manutenção no condomínio para curto, médio e longo prazo.

Para que ela seja mais eficiente, procure determinar quais são as prioridades do prédio, as demandas feitas pelos locatários e, principalmente, quais são os limites de orçamento.

É possível elaborar um simples plano de manutenção predial, que pode conter: periodicidade (ex: semestral, anual), sistema (ex: instalações hidráulicas, instalações elétricas, fachada, elevadores).

Registrar e documentar são as melhores maneiras de garantir o que já foi feito e o que ainda é necessário realizar. Utilize um calendário organizado e completo.

Valoriza o seu condomínio realizando a manutenção do patrimônio.

À medida que o tempo passa, é natural que os valores dos imóveis percam valor gradualmente. Isso acontece não só pelo desgaste natural, mas também pelas variações e tendências do mercado imobiliário.

Realize mudanças simples e altamente eficazes

Uma manutenção contínua e eficiente começa com cuidados simples em fachadas, jardins e elevadores. Falhas estéticas na pintura, manchas nas paredes e desgastes no revestimento abalam a imagem do prédio e reduzem seu valor de mercado.

A desvalorização de um edifício decorre também de falhas no gerenciamento. Cobranças de taxas elevadas estimulam a inadimplência, reduzindo o caixa e contribuindo para a queda na taxa de ocupação dos imóveis.

É fundamental que o administrador invista na valorização do patrimônio. Um condomínio com as contas em dia e que apresenta boa infraestrutura trará novos interessados na compra, venda e aluguel dos imóveis.